30/11/10

vamos fazer o Natal de alguém mais especial?

O que dizem de escolhermos uma instituição de solidariedade social e cada um de nós dar algo feito com as suas mãos (ou comprado), para alegrar o Natal daqueles que têm tão pouco?
 
A ideia acabou de me surgir, fruto da boa-vontade que tenho visto na blogoesfera. Porque não criamos um movimento para ajudar? Ainda que com coisinhas simples, se formos muitos, podemos dar um colorido diferente ao Natal de alguém.
 
Eram meninas(os) para alinhar?
Ideias? Sugestões? Instituições que conheçam?
 
Sim, eu sei que estamos em época de crise, mas caramba a malta continua a tomar café todos os dias...

já chegou

Fui almoçar a casa dos meus pais e lá estava a encomenda que fiz na FNAC para aproveitar o dia aderente e o descontinho de 10%.
Abri a caixa (qual criança na véspera de Natal), mas não tive tempo para brincar com maquineta. Sabia exacatamente o que estaria na caixa, afinal fui eu que fiz a encomenda, mas tinha que abrir, vá-se lá saber porquê.
 
Hoje temos jantar de amigos. Será que hoje aproveito para testar os meus dotes na difícil arte de filmar momentos divertidos?

A vida vai fazendo os seus ajustes

Este será um post que poucos, muito poucos perceberão.
 
Mas fiquei contente. Eu sei que sou má, eu sei... Eu sei que não devia ficar contente por acontecerem coisas menos boas a pessoas de quem não gosto. Mas temos pena. Fiquei CONTENTE. Com todas as letras e com vontade de ir ali fora dançar um bocadinho, agora que a chuva se foi e o sol até está a aparecer.
 

a palavra preferida da catraia

Neste momento é: preferida(o). É o prato preferido, o peixe preferido, as botas preferidas... Quando quer fazer festa, desata aos saltos, de mãos no ar e é ouvi-la: "Viva! Viva! É o meu preferido!"

100

Acabo de ver que aqui o sítito onde despejo tudo o que me vem à carola (bem, não tudo, tudo, senão tinha que privatizar) aingiu a interessante marca dos 100 seguidores. Claro que me interrogo quem são, o que fazem, de onde vêm, o que vos leva a ler-me e tudo o que vos der na vinheta que a democracia é bonita e eu gosto.
Contem-me tudo...

granizo

Pois é isso mesmo, aqui da janela que é mesmo pegada à minha secretária vê-se (e ouve-se) bem o granizo a cair em grande. Pedras mesmo. Já que temos frio e chuva, em vez de granizo podia vir neve. Sempre tinha mais piada...

a blogoesfera é uma coisa fantástica

Meninas lindas que se ofereceram para comprar-me o açucar gelificante, podem enviar-me um e-mail para o endereço que está aqui ao lado direito para que possamos combinar?
Muito agradecida!
 

A nova brincadeira preferida da catraia


Ir para o quarto dela, meter-se na cama (onde não dorme), deitar a mão a uma manta e a um livro e dizer que vai ler e vai dormir. Também vale uma caderneta.

Só mesmo para dizer

Com sono. Stop.
Com frio. Stop.
Amanhã é feriado! Happy!!!!!!

29/11/10

Ipad

E acabo de ler que essa maravilha da tecnologia, pela qual anda meio mundo a suspirar, chega amanhã a Portugal e estará à venda nas lojas Worten. Querem apostar que apesar do preço (elevado, claro está!) vai ser um mega sucesso de vendas?

Aldi

Quem tem um supermercado destes perto de casa e pode ser assim para lá de porreira e comprar açucar gelificante pour moi?
 
A norte não existem. O mais próximo do Porto é em Leiria...
 
Lá o açucar gelificante custa 0.99€ a embalagem de 500g.

mais uma perguntinha

Açucar gelificante, vende-se onde? Dizem que é muito bom para fazer compotas. Já experimentaram? Recomendam? Ao googlar, dizem que dá também pelo nome de pectina/pectigel e que se encontra no Continente ou no El Corte Ingles. No on-line do Continente não encontro nada. Nem no Jumbo. Será isto?
Help!
 

das pesquisas idiotas

"queria a musica da popota 2010 para a minha filha"
Resposta: vai ao site da popota e lá está a música que queres para a tua filha.
 
P.S. Devia haver um manual de pesquisas no google...

4 graus

Está tanto frioooooo!!!

Parabéns Gonçalo

O afilhado mais catita do mundo faz hoje 5 meses! Está tão lindo, tão activo, tão engraçado, tão simpático, tão fofo, tão bem disposto, tão comilão!
E se hoje é um dia especial e teremos festa mais logo, será também o dia da grande mudança. A minha comadre volta ao trabalho.
Força amiga! Custa. É verdade que sim. Mas vai fazer-te bem

jogo de cintura

Aos 2 anos, os dotes da catraia, em contornar os obstáculos, são coisa para me deixar de boca aberta.
Ontem estávamos as duas a brincar ao jogo dos animais. Basicamente, à vez cada uma, dizemos o nome de um animal e cabe à outra emitar o som do mesmo. E já passava da meia-noite e estávamos as duas nesta brincadeira.
A catraia falhou duas vezes o som da vaquinha (cismava que ela fazia mééééé) e à terceira vez em que eu lhe disse: "Como faz a vaquinha?" a resposta foi: "Hum.... Faz leitinho leitinho!".
 

o Picasso atacou de novo

Desta vez o alvo foi uma cómoda do ikea, que mora no corredor, juntinho à parede que ela adora pintar.
O meu irmão no sábado viu a parede, chamou-a para lhe ralhar e ela levou-o pelo mão para ver a nova obra de arte. É que ela acha mesmo piada. E eu sinceramente nem estou para me chatear.
Cá para nós, embora ralhe e rempreenda, acho piada mesmo. E não me importava nada que aquela passasse a ser a parede da Maria e que ela fizesse ali desenhos de mil cores. Sim, eu sei que é um bocado amalucado, mas é arte. Não me incomóda nada, nada. E até estivemos para pintar uma das paredes do quarto da Maria com um bloco preto, para que ela pudesse pintar com giz (há uma tinta efeito ardósia, que o permite). Não o fizemos com receio que ganhasse gosto por pintar paredes. Não adiantou grande coisa, não.

hoje

Acordei com uma neura daquelas capaz de me fazer não deixar ninguém meter à minha frente, numa fila de trânsito.
Um fim-de-semana de clausura faz destas coisas. Isso e uma soneca ao domingo à tarde, que me fez adormecer muito para além da hora a que devia e acordar vezes sem conta durante a noite a achar que já era hora de levantar.
Pensamento positivo para contrariar este meu estado de irritabilidade:
4ª feira é feriado.
Hoje temos festa à noite.
Amanhã também.

Amor à música

Num dos últimos fins-de-semana, a catraia, cheia de sono, entrou no carro e toca de cismar que queria tocar viola. Pegou na viola e adormeceu. O amor à música tem destas coisas!

28/11/10

fim-de-semana doente, mas feliz!





sapatos

Amo estes sapatinhos da Maria! Fofos, fofos, fofos!

Das panquecas

Nunca devia ter experimentado esta maravilha! Que coisa divina. E fácil, fácil.

Já há mix de panquecas preparado para presentinhos de Natal e mais será feito na próxima semana.

Com a catraia doente, não houve muito tempo para bimbadelas, este fim-de-semana, mas o plano mantém-se.

P.S. Se forem presenteados com alguma destas delícias no Natal, façam ar espantado, sim?!

27/11/10

Mais uma a juntar aos presente de Natal: mix de panquecas

O Filipe não acha grande ideia, mas eu, que adoro panquecas, acho perfeito.
Ter um frasquinho sempre pronto e saber que é só juntar leite, manteiga e um ovo e ter umas panquecas deliciosas e quentinhas parece-me muito bom.
Hoje vou experimentar e se correr bem, será mais uma coisa a juntar aos meus presentinhos de Natal caseiros.
Este mix de panquecas é uma receita da Nigela.

Ingredientes para o mix de panquecas:
600gr de farinha de trigo
3 colheres de sopa de fermento em pó
2 colheres de sopa de bicabornato de sódio
1 colher de chá de sal
40gr de açúcar baunilhado
Preparação:
Misturar todos os ingredientes e guardar num frasco bem fechado

Ingredientes para cerca de 15 panquecas pequenas:
150gr de Mix de panquecas
1 ovo
250ml de leite
1 colher de sopa de manteiga derretida
Preparação:
Misturar bem todos os ingredientes até obter uma massa lisa.
Aquecer uma frigideira anti-aderente (sem óleo) e deite 2 colheres de sopa de massa para formar cada panqueca (na minha frigideira fiz 3 panquecas de cerca de 8 cm de cada vez). Assim que começarem a aparecer bolhas à superfície das panquecas vire-as e deixe cozinhar mais um minutos.
Sirva as panquecas ainda quentes com mel, ou com a compota da sua preferência.

O que acham?

Dia aderente FNAC: aproveitado!

Andávamos há uns largos meses a adiar a compra de uma máquina de filmar. O Filipe adora fotografia e tem uma super máquina. Eu tenho uma compacta e outra mais robusta (para além de uma lomo, que tenho não tendo, é da Maria, mas sou eu que uso).
A minha máquina fotográfica compacta faz vídeos jeitosos, mas andava a apetecer-me ter uma máquina de filmar para poder levar para todo o lado e filmar a Maria.

E pronto, aqui está ela. Escolhida e comprada, deve ser entregue na 3ª feira.

Maria doente

A Maria ontem estava muito bem disposta quando a fui buscar. Ao chegar a casa, ficou mais quieta e chorosa. Recusou-se a jantar e vomitou. Muito. Eu que odeio vomitar, vi-a aflita e fiquei aflita. Depois adormeceu. Para acordar minutos depois. Bem disposta. E rir-se e dizer-me: 2Não tenho nada mamã, não te preocupes", enquanto os dedidos brincavam com o meu cabelo. E vomitou. E voltou a rir. E vomitou. Liguei ao pediatra. Disse-me que será uma virose que por aí anda a fazer estragos e que tudo passará em 3 dias. Não pode beber leite (que ela adora) e esteve 12 longas horas de jejum, apenas com direito a beber um soro com sabor a coca-cola (que ela adorou). Durou foi ela acordar muitas vezes durante a noite e de todas elas não se queixar, mas pedir-me leitinho e ter que explicar-lhe que não podia tomar e ela perguntar: "Pode então ser pápa de biberon?". E não, não pode. Durante 3 dias não há leite, nem derivados, a sopa é sem verduras, pápa só de arroz. Pode beber chá e comer bolachas de água e sal.
De noite teve febre. A ver vamos se volta.
Agora dorme. Pela primeira vez em 2 anos, foi sózinha, meter-se na nossa cama, a dormir. E tinha cá em casa a minha mãe e o meu irmão.
Comeu bem a sopa e uns rolinhos de fiambre.
E eu que sou uma mãe galinha, fico com o coração bem apertadinho

26/11/10

A e.l.f. faz anos e os presentes são para nós

Como já aqui disse, desde que descobri a e.l.f. que fiquei fã e tipicamente aproveito as alturas em que estão com entrega gratuita para encomendas acima das 10 libras (basta gostar da marca no facebook).
A e.l.f está a comemorar o 3º aniversário e está com uma campanha de entrega gratuita e com a oferta de um conjunto de sombras, para todas as encomendas, acima das 10 libras. Vale a pena, pois claro, aproveitar.
Basta colocar na encomenda o código promocional 3BIRTHEU. Válido até à meia-noite do dia 28 de Novembro.
Para quem não conhece, espreitem o site e percam-se.
 

Artista

Maria: Tio Miguel, tenho uma supesa!
Tio Miguel: Ai tens?
Maria: Tenho. Cocó!
Risos.

25/11/10

para que fique claro que não percebo nada da poda

O que é farinha custard? E onde se compra?
E já agora cuajada?

mutilação genital feminina

Ora aqui está um tema capaz de me deixar com os cabelos em pé. Não percebo. Não aceito. Não adianta virem cá com histórias de que faz parte da cultura de um povo, que é um ritual de passagem. É para mim um crime, inconcebível, praticado em sociedades onde o homem lidera e a mulher é mero artifício de decoração e prazer (para o homem entenda-se). Tenho para mim que continua a ser praticada apenas porque os homens querem que assim seja, com receio que as mulheres percebam que eles estão a fazer o serviço mal feito e que se calhar até podiam sózinhas tratar do assunto de forma mais eficaz e com mais prazer e assim os homens (coitadinhos) deixariam de ter meia dúzia de esposas.
Há uns tempos, ganhei bilhetes de cinema para a antestreia do filme Flor do Deserto. Arrastei o marido e lá fomos. Adoramos o filme. Saímos de lá chocados. Porque todos sabemos que existe. Mas é longe. Mas não vemos. Mas não nos doi a nós. Nem às nossas filhas.
Por isso depois de ler este artigo na marketeer, corri a abrir uma página da internet para registar a minha assinatura na petição.
Façam lá o favor de se juntar e de dar o vosso contributo para pôr fim a esta atrocidade.
Para que conste: diariamente, pelo menos 8000 raparigas e mulheres no mundo são mutiladas, o que corresponde a 5 raparigas ou mulheres mutiladas a cada 5 minutos.

a pedido de várias famílias - as receitas do manjar de ontem: parte 3

E por fim, o leite creme de chocolate by bimby, que ainda não foi comido e mora no frigorífico.
 
A receita foi tirada daqui.
 
50 grs de chocolate de culinária
500 grs de leite
20 grs de açúcar
20 grs de amido de milho (Maizena)
1 ovo (opcional - eu isei)
No copo da Bimby colocar o chocolate partido em pedaços e picar 10 segundos na velocidade 4. Colocar a borboleta, juntar os restantes ingredientes e programar 7 minutos, temperatura 100º, velocidade 2-3. Terminado este tempo retirar para uma taça ou tacinhas individuais.

a pedido de várias famílias - as receitas do manjar de ontem: parte 2

Quanto aos biscoitinhos de manteiga, optei por fazer estes.
 
Como o dispara biscoitos não cooperou (tenho que acreditar que a culpa é do dispara biscoitos e não minha), fiz bolinhas que amassei depois com um garfo.
Metade da massa foi assim. Na outra metade passei as bolinhas por canela e açucar antes de levar ao forno.
Apesar de ter sido uma opção de recurso, posso dizer-vos que as bolachinhas estão mais que aprovadas. Uma delícia (glup, que é como quem diz, barulho de quem acaba de engolir mais um).

a pedido de várias famílias - as receitas do manjar de ontem: parte 1

A do bacalhau com natas, está mesmo no livro base da bimby, por isso esta não vou colocar.

A receitinha foi tirada da net mas foi adaptada (já que não sou fã das propostas de recheio).

 

Mini Pizza Enrolada

Massa
200 g água
50 g azeite
25 g fermento padeiro fresco , ou 1 saqueta de fermento (4,6g)
½ c. chá sal
420 g farinha tipo 65

Receheio

50 g queijo bola (daquele de casca vermelha, que era o que tinha em casa)
1 tomate médio 
1 embalagem queijo mozzarella fresco
2 c. sopa orégãos
6 fatias carnes fumadas (tinha chourição e outras que tais e misturei tudo)

q.b. azeite

Preparação da massa:

Colocar no copo todos os ingredientes, excepto a farinha e programe 1,30 min/37ºC/vel 2.

Adicionar a farinha e amassar 2 min/vel . Retirar e reservar até que dobre de volume.

Preparação do recheio:

Colocar o queijo aos pedaços e as fatias de carnes fumadas e dê 2 golpes de Turbo, adicionar o tomate e programar 10 seg/vel 9. Reservar.

Deitar os restantes igredientes e programar 4 seg/vel 4. Retirar e envolver com o preparado anterior.

Pré-aquecer o forno a 200ºC.

Dividir a massa ao meio, numa superfície enfarinhada estendê-la com a ajuda de um rolo, em forma de rectângulo, distribuir metade do recheio e enrolar. Repitir para a outra metade. Cortar em rodelas de 3 cm, colocar num tabuleiro untado e enfarinhado (deixando um espaço entre elas de 5 cm). Regar com um fio de azeite e levar ao forno cerca de 30 minutos.

 

Fiz menos de meia massa. A restante fica para uma pizza a fazer em breve. A repetir sem dúvida.

Não tirei fotos porque não tive mesmo tempo. Foi sempre a correr!

Quem me manda ser curiosa

Tenho 33 anos, portanto diria que tenho idade suficiente para saber que esta curiosidade não é coisa que deva alimentar. Ou então é. Porque tenho aprendido muita coisa, graças a esta minha vontade de saber tudo, de querer saber mais e fazer perguntas, muitas vezes chatas, muitas vezes disparatadas.
Hoje vi que alguém chegou aqui ao cantinho, através de um site que dá pelo nome sugestivo de www.videntesonlinegratis.org.
Devia ter percebido que um site que se chama videntes on-line grátis não é coisa boa. Mas fui ver, está claro.
E já me ri com o pouco que consegui ler. Senão iam chamar uma ambulância e internar-me.
 
Mas melhor que o site, melhor que as receitas mágicas dos videntes on-line, que não cobram pelo serviço é o comentário deixado num post que dá pelo nome de Videntes On Line Que Dão Consultas Grátis: "quero que bruno silva carvalhosa seja meu namorado e se possivel marido que venha atrás de mim apaixonadíssimo que faça tudo por mim. quero tambem passar na prova para advoga da ordem do advogados do brasil no dia 13 de junho de2010 ".
E ao ir buscar ao post o comentário acabo de ver que é o primeiro de muitas pérolas.
 
 

ontem bimbou-se

E se se bimbou. Ontem foi mega dia da bimbadela.
 
Antes de mais: Que Pariu, mais o raio do dispara biscoitos que comprei no Chinês. Não me entendo com aquela droga!
Feita esta nota introdutória, aproveitei estar sózinha em casa e ter chegado perto das 18h para meter a mão na massa.
 
Bacalhau com natas (receita do livro base bimby). Fácil, fácil. E delicioso! Já o tínhamos comido no dia em que vieram trazer a minha ajudante, mas, pensava eu, que a coisa era mais complicada do que me tinha parecido. Pura ilusão. É mesmo muito simples e ficou fantástico (e os meus pais hoje têm almoço que sobrou muito mais de meio tabuleiro).
 
Decidi ainda experimentar fazer mini pizza enrolada para entrada. Já que tinha 2 horas até chegar o marido e a catraia furacão.
E assim foi. Posso dizer que recomendo. Experimentem que de facto para além de visualmente ser atractivo, é uma entrada diferente. Não preciso de dizer que quem mais gostou foi a Maria que assim que lhe pôs a vista em cima, já gritava que não queria sopa (que afinal comeu toda) mas perguntava: O que é ito? Quando lhe dissemos que era pizza, foi o delírio, saltos, cantilenas e lá comeu umas quantas.
 
Depois foi hora de experimentar os biscoitos. Ai os biscoitos. Tinha que testar porque pretendo oferecê-los no Natal. Recebi muitas contribuições, muitas ideias e tudo e tudo e tudo (obrigada!). Já agora de tiverem dicas quanto ao dispara biscoitos, venham elas, antes que o atire para os arrumos (que é como quem diz, para o lixo, porque indo, não volta).
Decidi-me por uns biscoitos de manteiga. A experiência com o dispara biscoitos foi para esquecer. Não me entendo com aquilo. Não consegui disparar um só biscoito que ficava tudo colado na ponta e não ficava onde devia (no papel vegetal). Pensei com os meus botões que não ia deitar aquilo fora e fiz bolinhas que espalmei com o garfo. Metade foram assim para o forno. A outra metade antes de ir para o forno passei por uma mescla de açucar e canela. Ai o cheirinho que ficou em casa.
Ontem a Maria provou os de manteiga e gostou!
Hoje trouxe uns quantos para a empresa e têm voado a uma velocidade alucinante.
A repetir, com ou sem dispara biscoitos.
 
E como ainda tive tempo (foi uma maratona mesmo), fiz um leite creme com chocolate, a pedido do Filipe, que ama creme de chocolate (mesmo daquele de pacote, que supostamente é para pudim, mas que com mais leite, fica creme). Ontem estava ainda muito quente, por isso prova só vai haver hoje (isto é, se durante a noite, o senhor meu marido não foi comê-lo, coisa que assim de repente não me admiraria nadinha, nadinha). Eu como não gosto, fico-me pelo cheiro e posso dizer-vos que cheirava muito bem.
 
E depois de tanto cozinhado, foi altura de nos sentarmos e jantarmos. Tranquilamente (tão tranquilamente quanto possível, já que tinha um Filipe fulo da vida em casa, com o glorioso benfica a perder).

das pesquisas idiotas

Alguém cá veio ter, ao fazer a pesquisa "tascas higiene".
 
Pois que aqui na tasca, estamos muito bem de higiene, obrigada!

à minha comadre

Hoje fazes anos. 33. Os mesmos que eu tenho
 
Hoje é também (como sabes) uma data especial para nós :)
 
Custa-me acreditar que nos conhecemos crianças, antes da escola primária, que disputávamos o mesmo baloiço (quando todos os outros estavam livres), que andávamos sempre pegadas, que cerrávamos fileiras em busca de aliados para a guerra que travávamos uma contra a outra, que te chamava cigana, que tinhas os cabelos pretos e compridos (que eu adorava puxar), que rias, com o olhar inocentes das crianças de 4 ou 5 anos, felizes. Que cedo percebemos que se não os podes vencer, junta-te a eles. E juntamo-nos para nunca mais nos separarmos. Que a vida nos levou muitas vezes por caminhos diferentes e que mesmo não tendo contacto por largos períodos, sempre soubemos ser incondicionais na vida, uma da outra. E sempre o fomos. Estiveste lá sempre, sempre, sempre que precisei. Mesmo quando ando mais tristonha e disfarço como posso (a rir, claro), tu percebes sempre. Topas-me bem.
 
Hoje temos um parentesco. Somos comadres. Graças ao convite que me apanhou completamente de surpresa e me fez chorar (e de que maneira) em pleno restaurante (onde ainda por cima, gostamos tanto de ir). Foi lindo, foi.
 
Hoje, como sempre, adoro-te e moras no meu coração. Eu sei que tu sabes.
 
E se hoje estás de parabéns, está prestes a iniciar-se um novo ciclo na tua vida. O meu afilhado lindo está prestes a fazer 5 meses e vais regressar ao trabalho. Sinceramente, acho que será bom. Que te fará bem. A mim custou-me como o caraças, chorei como uma madalena quando a deixei no primeiro dia, mas assim que entrei na empresa, soube a falta que me fazia trabalhar, ver pessoas, ter conversas para além de fraldas e leite, e pápas e sopas. Vai correr tudo bem.
Parabéns!

Entupida

Estou constipada. A catraia ontem ouvia tanto atchim que só me dizia "santinho, mamã" e enquanto me fazia festinhas, repetia: "já chega! Não é preciso mais!".
Ao deitar-me estava com mutio congestionada e ouvi-a falar com o pai e dizer: a mamã está entupida!
Certo!

24/11/10

Dias aderente FNAC

Nos dias 26 e 27 de Novembro, a FNAC estará com 10% desconto em basicamente tudo :)
 
Aproveito sempre estes dias para comprar uns presentinhos de Natal e esta vez não vai ser excepção.
Como o desconto também é válido na fnac on-line, vai dar jeito que assim até escuso de ir a uma loja e suportar as filas que sempre há nestes dias.
 

Hora de almoço transformada em ida às compras

Aproveitei os 45 minutos que tenho de intervalo para almoço para ir dar um salto à Modalfa.
Objectivo: gastar os euros que tinha em talão do fim-de-semana passado em que a roupa de criança estava com 50% desconto.
Primeiro destino: secção de criança em busca das t-shirts de algodão com elastano de gola alta (esgotadíssimas no fim-se-semana). A Maria tem várias, mas nunca são de mais. Queria azul marinho, castanho e branco (as que mais usa). Não havia branca. As outras duas vieram.
Fui dar uma espreitadela, afinal tinha mais 10€ para gastar e os meus olhos pararam em camisolas basicamente iguais mas para adulto. Como a empresa é fria como o raio, optei por comprar para mim. Embora tenha 1 castanha, 2 pretas e uma roxa, percebi que com o frio que aqui se faz sentir, é uma boa opção seja por baixo de uma camisa ou mesmo de um vestido. E tenho-lhes dado muito uso. Pena só ter arranjado de 2 cores.
O meu espanto foi com o preço. 4.99€. E as da Maria: 4.99€.
Com o tecido de cada uma das minhas camisolas, diria que se fariam 2 ou 3 para a Maria. E o preço foi exactamente igual.
 

Capuccino

Adoro capuccino. Principalmente o que se toma em alguns bons cafés e que tem aquela espuma tão leve.
Decidi incluir a mistura para capuccino no meu lote de presentinhos para o Natal.
Tratei disso no fim-de-semana mas ainda não tinha tido oportunidade de provar. Ontem foi o dia.
Posso dizer-vos que ficou muito bom mesmo. Fica com espuma (não imensa e não muito leve). A repetir certamente.
Espero que os contemplados o apreciem tanto como eu :)
 
A receita, adaptei, já que me vários comentários que encontrei referiam a necessidade de aumentar a quantidade de chocolate e de açucar.
 
Aqui fica a minha:
 

.400 g de leite em pó  instantâneo
.100 g de café solúvel
.150 g de açucar (a receita manda colocar a mesma quantidade de café solúvel; da próxima aumento ainda a quantidade de açucar)
.4 colheres de sopa de chocolate em pó (a receita manda colocar 3; da próxima vou colocar 5 ou 6)

.2 colheres de chá de bicarbonato de sódio (este é o ingrediente mágico que faz "nascer" a espuma; não se deve abusar porque é salgado).

 

Prepação

Colocar todos os ingredientes na bimby, velocidade 8, até que esteja tudo transformado em pó. Guardar em frasquinhos ou latinhas. Decorar a gosto.

Acrescentar 3 colheres do preparado numa chávena com água em quente ou com leite (eu prefiro com água).

Enjoy

Hoje é dia de greve geral

Para alguns. Eu trabalho. Não que não me pareça justo que as pessoas reivindiquem direitos e se revoltem contra a miséria em que está este País. Não o faço porque acredito que fazer greve não é a forma mais eficaz para resolver o que quer que seja.
 
Mas surpreendentemente para mim (que estou há pouco mais de 2 meses nesta empresa) alguns colegas fizeram greve.
 

23/11/10

Dos fins de tarde mágicos

Hoje tivemos mais um fim de dia animado. Aceitamos o convite da serena Sónia e da doce Sofia e lá fomos tomar um chá a casa destas meninas lindas.
Foi uma animação. As meninas foram brincando, nós fomos conversando. É meu. É teu. Grito. Choro. Abraço. Desculpa. Mas lá entenderam.

Sónia a tua barriguita está linda! A Maria pelo caminho perguntou se tinhas um bebé mesmo. Lá lhe expliquei que sim, mas ela não ficou muito convencida.

Obrigada e fica a promessa que em breve vêm cá a casa para retribuirmos.

P.S. O mundo é mesmo pequeno... Quando cheguei a casa fui logo contar ao marido que conhecias a Lili :)

Fui apanhada de surpresa

Almoço a correr em casa dos meus pais. Com direito a Maria para lá de bem disposta, brincalhona e muito comilona.
A tv estava ligada e de repente vejo que começa o telejornal e que a novela da TVI "Meu Amor" ganhou mesmo o Emmy para a qual estava nomeada. Confesso o meu total desconhecimento quanto à mesma (e a qualquer outra novela da actualidade), mas fico contente por ver o talento dos portugueses reconhecido internacionalmente.
Parabéns!!

Dos fins-de-tarde com sabor a quero mais

Não é que na passada 5ª feira tivemos um fim de tarde bem divertido, na companhia da Cláudia e do Afonso e até me esqueci de registar?!
E é tão engraçado que a Maria já os conheça bem e grite pelo Afonso assim que o vislumbra ao longe.
E nem imaginam o que uma viola de 5€ pode fazer junto da criançada... O Afonso choramingava que queria a viola da Maria. A Maria só emprestava se ele lhe emprestasse a Júlia. Depois lá se esqueciam e brincavam com os livros e corriam um atrás do outro.
Viemos embora e a Maria ainda perguntava: "O Afonso?" E lá lhe explicamos que o Afonso ia para casa dele e nós íamos para a nossa. Que era noite, estava escuro. E ficou a promessa de uma tarde com direito a lanchinho em nossa casa, enquanto os pequenitos brincam.
E a Maria no seu melhor a amuar, a cruzar os braços à frente, virar-me costas e a dizer: Não é justo! Já nem me lembro porque motivo.
Obrigada pelos presentinhos que a Maria adorou (ou não fossem do amigo Ruca e do rival Pocoyo).

Melhor do que

Sair da empresa com uma brutal dor de cabeça, foi chegar a casa e não ter luz. Nem entramos. O marido estava a chegar, ao telefone com a EDP e demos logo meia volta. Razão tinha a Maria que foi no carro a protestar que não queria ir para casa e que queria ir ao shopping andar nos cavalinhos. E tivemos jantar de hamburga com batatas fritas (e o que nos rimos com a catraia a dizer que o hamburga era delicioso!), passeio no shopping, viagem no carrocel para a Maria, um brinquedo que nos "obrigou" a comprar assim que colocou os delicados pézinhos dentro do Jumbo (foi vê-la correr, rumo aos brinquedos como se não houvesse amanhã, agarrar um cãozinho que abana a cauda e a cabeça e perguntar-nos com o ár mais doce do mundo: Podemos levar este?). E chegar a casa e estar à luz das velas, com a Maria a pedir para ligar a luz que não gostava do escuro. E agradecer por termos placa a gás e por isso termos conseguido aquecer o leite. E a Maria que dorme a noite inteira, ter acordado às 5h da matina a pedir: "quero leitinho! Vais bucár?".

22/11/10

às cozinheiras

Aceitam-se ideias/sugestões de receitas para os primeiros biscoitos a bimbar.
 
Consegui encontrar um dispara biscoitos todo artilhado num chinês aqui perto (quando fui comprar os frascos) e estou desejosa de experimentar

Pai Natal

À pergunta: Maria o que te vai trazer o Pai Natal?
Recebemos a resposta: Muiiiitas surpresas!

dor de cabeça

Estou com uma dor de cabeça tal que mal consigo ter os olhos abertos.
Está sol se olhar para a esquerda e um céu cinza escuro e bem carregado se olhar para a direita. Nunca me dei bem com este tempo instável.
Para ajudar, a empresa está em obras, open space encerrado e estou trancafiada num bunker, abafado, sem janelas, sem ver ninguém, com cabos por todo o lado, um barulho terrível (daqueles baixinhos mas que incomodam) e cheira a qualquer coisa queimada. Já acabava esta 2ª feira...

O verbo bimbar

Já vos tinha dito que fazia intenções de oferecer uns presentinhos de Natal, home made.
 
Ontem foi dia de fazer o teste dos bombons. Fiz simples e com recheio de morango.
As minhas receitas, adaptadas de algumas que encontrei na internet.
Chocolate de leite nestlé a derreter em banho Maria (2 unidades) e meio chocolate pantagruel.
Assim que esteja líquido encher as forminhas (no caso dos bombons simples) e levar ao frigorífico. 1 hora depois estão prontos a comer.
Ou colocar na forma para criar a casquinha do bombom, colocando uma pequena porção em cada forminha, pincelando as laterais e retirar o excesso. 10/15 minutos no frigórífico. Misturar 200 g leite condensado com 3 colheres de sopa de preparadado para sumo de morango (tipo tang). Mexer bem. Encger os bombons até 3/4. Novamente 15 minutos de frigorífico. Cobrir o espaço em cada forminha com chocolate. Frigorífico 1hora e estão prontos.
 
Posso dizer-vos que estão lindos e muito bons. Logo vou tentar fotografar para mostrar.
 
As forminhas de silicone vieram da loja do gato preto. Simples (redondinhas), em forma de coração e umas muito natalícias, em forma de pinheirinho, de bola de Natal e de boneco de neve. Um mimo.
 
Agora que está testado vamos ter bombons para oferecer também no Natal.
 
Para além disto, já está feito o sal aromatizado com casca de limão pulverizada, o capuccino, o licor de canela e o licor de café.
By bimby, claro está.
 
Esta semana espero ter tempo para tratar do tabasco, dos azeites aromatizados, do baileys e das compotas (abóbora com nozes e maça com canela). Na semana antes do Natal é a vez dos brigadeiros e dos bombons. Entretanto vou dedicar-me a fazer as caixinhas.
E se ainda houver espaço, conto usar a receitinha da Sara e oferecer também pó de caramelo, que é coisa para me parecer para lé de deliciosa.
 
Sempre encontrei as jarras adapatadas a garrafas no ikea (vim de lá com 20, e com o rapaz da caixa a pensar que eu ia levá-los para fazer negócio). Rolhas de cortiça arranjei mesmo no Continente.

o primo Joaquim

A Maria tem muitos primos. De sangue e de coração. Dos primos de sangue, dos "verdadeiros" todos são adultos (tem um primo da minha idade) excepto 2, com quem, infelizmente não tem grande contacto.
A vida dos meus cunhados levou-os para mais longe, com horários complicados e o contacto é muito espaçado.
A Maria é uma criança extremamente sociável. Muito bem disposta. Mas não tendo contacto com os primos e com os tios, por vezes pergunto-me como se adapta tão bem a novidades.
No sábado de tarde fomos visitar os meus cunhados com quem já não estávamos há uns bons meses (diria que quase há um ano). Estava lá o primo da Maria, o Joaquim que tem 7 anos. A Maria chegou a dormir. Acordou ao sair do carro. E assim que o viu, apaixonou-se. A sério. Era vê-la encantada a correr o centro comercial de mão dada com o primo Joaquim. Gritar por ele, sempre que o perdia de vista. Brincaram muito, muito. Ainda por lá jantamos e às tantas, demos pela Maria abraçada ao primo a dizer: Joaquim, és o meu melhor amigo! Gosto muito de ti! Ele até corou e achou piada porque nos rimos. E ela andava ao colo dele, fazia-lhe festinhas no cabelo, dava-lhe xi-corações apertadinhos e na hora de vir embora, já mais para lá do que para cá, com o sono, dizia: não quero ir embora. Quero ficar aqui com o primo Joaquim.
Ficou a promessa de em breve combinarmos e irmos buscar o primo Joaquim, para passarem os 2 um dia de brincadeira lá em casa.

Disney Store

No sábado tivemos manhã de compras no Norte Shopping.
 
A Maria está oficialmente viciada na Disney Store. Basta passar lá em frente que é vê-la correr em direcção à porta e ouvi-la dizer que adora aquela loja, que tem coisas tão giiiiras!
Quer pegar em tudo, nunca quer vir embora e embora eu a contrarie, entendo-a tão bem. Até a mim me apetece ficar por lá.
 
E claro que de lá viemos com um copo com palhinha da gatinha Marie, mais 2 presentinhos para o Natal e um presentinho para um dos dias 29, do meu afilhado (afinal quem comemora todos os meses, tem direito a presente todos os meses).
 
 
 

19/11/10

E eis que descubro uma nova vocação

Inquéritos/Estudos de satisfação.
 
Pelo que, se têm uma empresa, trabalham numa e podem contratar-me para fazê-lo, ou conhecem alguém que o queira fazer, estou disponível. Basta enviar e-mail para o endereço que está ali à espreita do lado direito do ecrã.
 
Daqueles à séria, com envio por e-mail, com matriz a definir pelo cliente, com possibilidade de follow up diário do número de respostas recebidas, com entrega de relatório no final, e tudo e tudo e tudo.
 

depois da chuva, vem o sol

A coisa melhorou.
 
Almoço com a princesa, cura tudo!

%&#*?#

Consegui sair de casa tarde.
Rasgar as meias ao entrar no carro com a chave.
Espetar uma farpa numa mão nem eu sei como.
 
O dia promete...

Abre olhos

18/11/10

I try my best

Fui ao chinês

Hoje a hora de almoço não foi para almoçar.
Rumei ao chinês aqui da zona em busca de frascos e frsquinhos para os presentinhos de Natal. Obrigada pelos comentários e até por algumas sugestões. À minha lista vou acrescentar Licor de Café e bombons. Frascos para tabasco muito engraçados a 0.80€ e frascos para o sal aromatizado também já cá cantam.
As garrafinhas para o azeite e para os licores vão ser umas jarras do ikea que custam 0,50€ (não me enganei são mesmo jarras, mas dão umas garrafinhas lindas, com umas rolhas de cortiça) e hoje espero ainda visitar o De Borla e encontrar os frascos para as compotas (comprei para a que fiz de abóbora e não chegaram a 1€ cada) e já agora para o capuccino e para o eventual paté de azeitonas pretas.
Encontrei uma loja que vende on-line mas não consigo ter bem noção dos tamanhos dos frascos. São muito, muito baratos, mas fica para a próxima, quando tiver mais tempo para por as mãos na massa.
Também já tenho um esquema para umas caixas que dão para brigadeiros ou bombons.
 
Se se forem lembrando de mais coisas partilhem, sim?
 

Eu culpada, me confesso

ontem bimbou-se

Um arroz de pato que fugiu. E como o pato fugiu, foi arroz de pato fingido, que é como quem diz, seguir a receita do livro base, mas substituir o pato por peitos de frango (que tinha destinado fazer para jantar).
 
Delicioso é o que vos digo. E hoje já temos jantar, que sobrou mais de metade.

Ontem

É que eu devia ter estado de férias em Espanha! Porque nas últimas férias de Verão estava em Tenerife quando Portugal foi eliminado pela Espanha e desde esse dia que penso que seria bom, pagar-lhes na mesma moeda.
Claro que os nuestros hermanos iriam dizer que foi assim porque o jogo era a feijões. E eu ia dizer que não. Mas ia pensar que sim.

Hoje tinha ficado

Nham, nham...

Era menina para experimentar. Era, era. Assim que acabem as sobras do aniversário da Maria. Por muito que divida e que deixe cá em casa pouca coisa, é sempre muita. E passamos dias a comer mousse de chocolate, pudim (not me), baba de camelo (meee!!!), brigadeiros, bolo de chocolate e tudo e tudo e tudo...

17/11/10

Brigadeiros

A catraia descobriu que gosta. Não perguntem como, senão vou ter que vos dizer que ainda há uns quantos que sobraram de domingo e que a Maria lhes deita a mão sempre que pode

Não passa um dia

Sem que cá venha alguém parar quando pesquisa por candeeiro qualquer coisa.

Não fazia ideia que tanta gente procurava candeeiros na net. E falando nos ditos, os do tecto da sala continuam por trocar e a ser 2 bolas manhosas do ikea. Ainda não encontrei os tais. E ando nisto há 11 anos. E troco bola atrás de bola quando se suja ou fica amarelada.

Ser feliz é

Presentes de Natal

 
 
Os meus estão quase todos comprados. Não estão todos, todos.
Faltam os mais complicados (e caros). Pais, mano, padrinhos, marido. O meu presente está comprado há quase 1 mês. A Bimby.
 
Para algumas pessoas estava a pensar rentabilizar o meu presente, que é como quem diz fazer presentinhos. Googlei e no fórum Bimby encontrei ideias muito engraçadas.
 
Alguém já fez presentinhos para oferecer na amiga Bimby? Sugestões?
 
Assim de repente agrada-me a ideia de oferecer um cestinho com umas coisinhas e fazer diferente, mais pequeno ou maior, dependendo do destinatário.
 
Do que vi, pensei fazer: tabasco, azeite aromatizado, compota, baileys, sal aromatizado, capuccino, brigadeiros, bolachinhas de chocolate, licor de canela.
 
Gostavam de receber um presentinho assim? Confesso que eu adoraria. É o tipo de presentes que mais me diz. Só é batido mesmo pelos desenhos da Maria, que ainda ontem rabiscava uma folha enquanto nós terminávamos de jantar e dizia que estava a fazer um peixinho ou uma casa... Riscos. Mas lindos.

Se quiserem rogar uma praga

 
A alguém de quem não gostam mesmo nada, desejem que lhe cresça uma espinha no belo do sovaco.
É que doi como o caraças...

Gostar porque sim

Cada vez menos, gosto de pessoas porque sim. E tenho saudades de gostar. Tenho saudades da inocência que perdi. Tenho saudades de me entregar. Tenho saudades em deixar que entrem no meu pequeno mundo. Hoje, radiografo muito antes de permitir grandes aproximações. Mecanismo de auto-defesa. Sem dúvida. Com muita pena minha.

A arte da guerra

Há uns anos, o meu primeiro chefe decidiu mudar de ares e na saída ofereceu-me um livro: A arte da guerra.
 
Nunca tinha ouvido falar do dito livro (shame on me, mas ter vinte e muito poucos anos tem destas coisas) e durante meses (anos) ficou apenas a enfeitar a apinhada estante de livros que tenho para ler.
 
Um dia, decidi, impelida por aquela coisa ser mais fina que uma revista cor-de-rosa, dar-lhe uma hipótese.
Não sem antes pensar e pensar no porquê de me ter dado a minha aquele livro. A mim que sou pacifista. A mim. Raios. Porquê a mim.
Descobri que é um dos livros mais lidos e comentados e que na gestão moderna é tido como uma bíblia dos que comandam.
 
E fiquei deliciada ao ler as páginas e a rever nelas atitudes de gestores que já tive e tantas que não vejo em tantos outros que me comandam.
Antes de escrever este post fiz uma pesquisa rápida no google (googlar is my middle name) e é fácil encontrar versões mais ou menos legais do dito livro, por isso nem vale a desculpa de não se poder gastar dinheiro em livros, com a crise. Podem espreitar uma delas aqui.
É curioso como um livro escrito há tantos anos, pode ser tão actual e falando em estratégias de guerra é um livro tão importante na vida dos que comandam ou ambicionam um dia comandar. E desenganem-se os incautos e inocentes. A arte de comandar é uma guerra. Séria. Tal como sobreviver num meio profissional competitivo.
É vulgar encontrar este livro na FNAC, pelo preço de um lanche, por isso pensem bem se não será um óptimo presente de Natal para alguns. Eu ando tentada em oferecer um a alguém que nem conheço há muito tempo. Mas o meu contrato termina em Abril.
 

Está inaugurado

O Inverno cá por casa. Se no quarto o aquecimento há 2 semanas é ligado por causa da catraia que teima em dormir destapada, ontem foi o dia de eu me deixar de coisas e começar a ligar também o da sala. Deve ser do frio que tenho apanhado durante o dia, ou então não e está apenas e só frio mesmo, mas tenho chegado a casa sempre com frio e a coisa custa a passar. Vai daí, ontem 20º na sala e que bem que soube andar confortável e deixar de estar encolhida.
Não foi assim com todo o estilo que a foto mostra, mas o propósito foi cumprido. Agora que era menina para adorar ter uma lareira assim na minha próxima casa, isso era...

Quero uma... quero muito

O jantar de ontem

Ontem não sabia o que fazer para jantar. Ainda me ocorreu pizza, já que tinha várias carnes picadas que me tinham sobrado da bola rápida que fiz na Bimby para o aniversário da Maria. Mas depois vi e isto e pensei: Patrícia Maria, está resolvido o jantar de logo. Massa cozida com refogado de carnes (fiambre, chouriço, bacon e fuet fatiado) e depois de pronto foi ao forno a gratinar com um pedacinho de queijo ralado no momento aqui na minha amiga Bimby. Ficou maravilhoso. O marido não se cansou de elogiar (e comer) e até a catraia pedia massa e mais massa (as massas verdes é que não come; diz que são couves e que não gosta; há-de passar-lhe).

16/11/10

O meu telemóvel

Ficou na empresa. Pousado na minha secretária. Posso sempre dar uso a um igual a estes a que a Maria já não liga, mas cuja cantilena ela (e nós) ainda sabe de cor... Gira, gira mundo, todo redondinho...

Às 10h tocou o meu alarme para eu não me esquecer da pílula. Se lá estava alguém (e devia estar) deve ter apanhado um susto. Amanhã às 7h da matina toca o meu despertador...

Querem assitir em lugar destacado ao fashion show da colecção Mango Primavera/Verão 2011?

Não têm que responder a nenhuma pergunta. Não têm que enviar uma frase gira e criativa nem tão pouco deixar um comentário neste post.
 
Basta gostarem da página da marca no facebook e hoje estarem atentos às 22.30h. Mais detalhes aqui.
 
Uma iniciativa original. Que vou tentar espreitar.

Clap, clap para a Corticeira Amorim

Cuja rolha está no whisky mais caro do mundo (coisa para 100 mil libras, portanto acessível a cada um de nós).
Prestígio para Portugal e um exemplo a seguir.

Temos Picasso

A Maria ontem estreou-se na complicada arte de pintar e rabiscar uma parede enquanto o diado esfrega um olho.
E veio ter connosco à sala, com ár de Santa, caneta vermelha na mão, mostrar-me que tinha pintado uma mão. Disse-lhe que aquilo não se fazia e que agora ia custar a sair. Ele não estava contente ainda com o ralhete e toca de levar o pai pela mão para ver a obra de arte que tinha feito no corredor para os quartos. O pai ralhou. Chamou-me. Eu ralhei. Ela riu. Mau sinal.

Se isto continua assim

Venho trabalhar e trago uma manta e umas pantufas bem quentinhas.
 
É que estou de cachecol e de casaco grosso e ainda assim, tenho pés gelados e pontas dos dedos que nem as sinto. Ontem já avisei quem manda que isto não pode ser e que é preciso ligar os aquecedores (aqui não há ár condicionado. Há ventoinhas no Verão e aquecedores no Inverno). O acalorado disse-me que ainda não está frio para isso, mas eu fiz o meu olhar 44 e disse-lhe isso mesmo: que ia passar a trazer uma manta, umas pantufas e uma botija de água quente, porque os meus neurónios nem pensam com tanto frio

post totalmente privado

Boa sorte amiga.
 
O que tiver que ser, será!

reclamar é um direito

A propósito disto, ontem recebi uma interessada e empenhada resposta, garantindo-me que as reclamações não caem em saco roto e que poderia ficar tranquila porque estavam a envidar esforços para resolver o que de errado se passa quando tantos erros acontecem numa só encomenda. Resumindo e baralhando, deram-se ao trabalho de me ligar, o que já não foi mau. Mas confesso que já tive das piores experiências com o Continente on-line. Quando estive grávida e depois da Maria nascer, só fazia compras desta forma. Mas corria sempre alguma coisa mal. Ou era o peixe que eu pedia para cortar em filetes e vinha às postas, ora as garrafas que chegavam partidas, ora os garrafões de água que nunca entregavam, ora os ovos que chegavam já quase omolete. Até que me cansei. Porque perdia mais tempo a reclamar e a tentar resolver do que a fazer a encomenda. E se eu tivesse tempo, se me apatecesse perder tempo, ia eu mesma ao supermercado.
 
 

15/11/10

Já pensei ser "reclamadora oficial" e juro que até acho que ia ter (algum) sucesso

Se algum dia, precisarem de escrever uma reclamação, podem contar comigo. Tenho experiência na matéria. Já vão umas quantas páginas em outros tantos livros e muitas ficaram por fazer.
Hoje seguiu a reclamação número 2, quanto ao mesmo problema de sempre do continente on-line. O péssimo serviço. Paga uma gaja 8€ para ter as compras comodamente entregues em casa (isso e por não ter manifestamente tempo para ir comprar tudo o que precisava para o aniversário da Maria) e o resultado só não foi um desastre porque ontem de manhã, decidi confirmar se tinha vindo tudo (não tinha) e se o que tinha pedido tinha vindo como pedi (chamem-me esquesita, mas se me dou ao trabalho de escrever uma nota em que peço as fatias de fiambre finas é porque lá em casa ninguém come fiambre como quem come um bife).
E irritam-me as respostas chapa 5 e o ai e tal, pedimos imensa desculpa e oferecemos a próxima taxa de entrega. Mas eu sou lá louca para voltar a encomendar (e só assim posso usufruir da gentil oferta, pela qual deveria lamber o chão em que os senhores andam) e ter depois que sair na mesma de casa para ir resolver os erros dos outros. E que tal mandarem um pedido de desculpas personalizado e substituirem o que veio errado e tomarem medidas para que não volte a acontecer? Não está na lista?
É daquelas coisa que não compreendo. Supermercados há por todo o lado. Os preços não são muito diferentes num ou noutro.A diferença, para mim, chama-se serviço...
It´s so easy and nobody cares

Eu e a coca-cola

Se encontrarem uma destas, nas vossas viagens pelo mundo, lembrem-se de mim. Toca lá a esconder na mala as garrafinhas e trazer para este cantinho onde tão pouco chega. Sim?!?

MEC - reflexão sobre o casamento (este homem é genial e não me canso de o ler)

Confesso que a minha ambição era a mais louca de todas: revelar os segredos de um casamento feliz. Tendo descoberto que são desaconselháveis os conselhos que ia dar, sou forçado a avisar que, quase de certeza, só funcionam no nosso casamento.

Mas vou dá-los à mesma, porque nunca se sabe e porque todos nós somos muito mais parecidos do que gostamos de pensar.

O casamento feliz não é nem um contrato nem uma relação. Relações temos nós com toda a gente. É uma criação. É criado por duas pessoas que se amam.

O nosso casamento é um filho. É um filho inteiramente dependente de nós. Se nós nos separarmos, ele morre. Mas não deixa de ser uma terceira entidade.

Quando esse filho é amado por ambos os casados - que cuidam dele como se cuida de um filho que vai crescendo -, o casamento é feliz. Não basta que os casados se amem um ao outro. Têm também de amar o casamento que criaram.

O nosso casamento é uma cultura secreta de hábitos, métodos e sistemas de comunicação. Todos foram criados do zero, a partir do material do eu e do tu originais.

Foram concordados, são desenvolvidos, são revistos, são alterados, esquecidos e discutidos. Mas um casamento feliz com dez anos, tal como um filho de dez anos, tem uma personalidade mais rica e mais bem sustentada, expressa e divertida do que um bebé com um ano de idade.

Eu só vivo desta maneira - que é o nosso casamento - vivendo com a Maria João, da maneira como estamos um com o outro, casados. Nada é exportável. Não há bocados do nosso casamento que eu possa levar comigo, caso ele acabe.

O casamento é um filho carente que dá mais prazer do que trabalho. Dá-se de comer ao bebé mas, felizmente, o organismo do bebé é que faz o trabalho dificílimo, embora automático, de converter essa comida em saúde e crescimento.

Também o casamento precisa de ser alimentado mas faz sozinho o aproveitamento do que lhe damos. Às vezes adoece e tem de ser tratado com cuidados especiais. Às vezes os casamentos têm de ir às urgências. Mas quanto mais crescem, menos emergências há e melhor sabemos lidar com elas.

Se calhar, os casais apaixonados que têm filhos também ganhariam em pensar no primeiro filho que têm como sendo o segundo. O filho mais velho é o casamento deles. É irmão mais velho do que nasce e ajuda a tratar dele. O bebé idealmente é amado e cuidado pela mãe, pelo pai e pelo casamento feliz dos pais.

Se o primeiro filho que nasce é considerado o primeiro, pode apagar o casamento ou substitui-lo. Os pais jovens - os homens e as mulheres - têm de tomar conta de ambos os filhos. Se a mãe está a tratar do filho em carne e osso, o pai, em vez de queixar-se da falta de atenção, deve tratar do mais velho: do casamento deles, mantendo-o romântico e atencioso.

Ao contrário dos outros filhos, o primeiro nunca sai de casa, está sempre lá. Vale a pena tratar dele. Em contrapartida, ao contrário dos outros filhos, desaparece para sempre com a maior das facilidades e as mais pequenas desatenções. O casamento feliz faz parte da família e faz bem a todos os que também fazem parte dela.

Os livros que li dão a ideia de que os casamentos felizes dão muito trabalho. Mas se dão muito trabalho como é que podem ser felizes? Os livros que li vêem o casamento como uma relação entre duas pessoas em que ambas transigem e transaccionam para continuarem juntas sem serem infelizes. Que grande chatice!

Quando vemos o trabalho que os filhos pequenos dão aos pais, parece-nos muito e mal pago, porque não estamos a receber nada em troca. Só vemos a despesa: o miúdo aos berros e a mãe aflita, a desfazer-se em mimos.

É a mesma coisa com os casamentos felizes. Os pais felizes reconhecem o trabalho que os filhos dão mas, regra geral, acham que vale a pena. Isto é, que ficaram a ganhar, por muito que tenham perdido. O que recebem do filho compensa o que lhe deram. E mais: também pensam que fizeram bem ao filho. Sacrificam-se mas sentem-se recompensados.Num casamento feliz, cada um pensa que tem mais a perder do que o outro, caso o casamento desapareça. Sente que, se isso acontecer, fica sem nada. É do amor. Só perdeu o casamento deles, que eles criaram, mas sente que perdeu tudo: ela, o casamento deles e ele próprio, por já não se reconhecer sozinho, por já não saber quem é - ou querer estar com essa pessoa que ele é.

Se o casamento for pensado e vivido como uma troca vantajosa - tu dás-me isto e eu dou-te aquilo e ambos ficamos melhores do que se estivéssemos sozinhos -, até pode ser feliz, mas não é um casamento de amor.

Quando se ama, não se consegue pensar assim. E agora vem a parte em que se percebe que estes conselhos de nada valem - porque quando se ama e se é amado, é fácil ser-se feliz. É uma sorte estar-se casado com a pessoa que se ama, mesmo que ela não nos ame.

Ouvir um casado feliz a falar dos segredos de um casamento feliz é como ouvir um bilionário a explicar como é que se deve tomar conta de uma frota de aviões particulares - quantos e quais se devem comprar e quais as garrafas que se deve ter no bar, para agradar aos convidados.

Dirijo-me então às únicas pessoas que poderão aproveitar os meus conselhos: homens apaixonados pelas mulheres com quem estão casados.

E às mulheres apaixonadas pelos homens com quem estão casadas? Não tenho nada a dizer. Até porque a minha mulher continua a ser um mistério para mim. É um mistério que adoro, mas constitui uma ignorância especulativa quase total.

Assim chego ao primeiro conselho: os homens são homens e as mulheres são mulheres. A mulher pode ser muito amiga, mas não é um gajo. O marido pode ser muito amigo, mas não é uma amiga.

Nos livros profissionais, dizem que a única grande diferença entre homens e mulheres é a maneira como "lidam com o conflito": os homens evitam mais do que as mulheres. Fogem. Recolhem-se, preferem ficar calados.

Por acaso é verdade. Os livros podem ser da treta mas os homens são mais fugidios.

Em vez de lutar contra isso, o marido deve ceder a essa cobardia e recolher-se sempre que a discussão der para o torto. Não pode ser é de repente. Tem de discutir (dizê-las e ouvi-las) um bocadinho antes de fugir.

Não pode é sair de casa ou ir ter com outra pessoa. Deve ficar sozinho, calado, a fumegar e a sofrer. Ele prende-se ali para não dizer coisas más.

As más coisas ditas não se podem desdizer. Ficam ditas. São inesquecíveis. Ou, pior ainda, de se repetirem tanto, banalizam-se. Perdem força e, com essa força, perde-se muito mais.

As zangas passam porque são substituídas pela saudade. No momento da zanga, a solidão protege-nos de nós mesmos e das nossas mulheres. Mas pouco - ou muito - depois, a saudade e a solidão tornam-se insuportáveis e zangamo-nos com a própria zanga. Dantes estávamos apenas magoados. Agora continuamos magoados mas também estamos um bocadinho arrependidos e esperamos que ela também esteja um bocadinho.

Nunca podemos esconder os nossos sentimentos mas podemos esconder-nos até poder mostrá-los com gentileza e mágoa que queira mimo e não proclamação.

Consiste este segredo em esperar que o nosso amor por ela nos puxe e nos conduza. A tempestade passa, fica o orgulho mas, mesmo com o orgulho, lá aparece a saudade e a vontade de estar com ela e, sobretudo, empurrador, o tamanho do amor que lhe temos comparado com as dimensões tacanhas daquela raivinha ou mágoa. Ou comparando o que ganhamos em permanecer ali sozinhos com o que perdemos por não estar com ela.

Mas não se pode condescender ou disfarçar. Para haver respeito, temos de nos fazer respeitar. Tem de ficar tudo dito, exprimido com o devido amuo de parte a parte, até se tornar na conversa abençoada acerca de quem é que gosta menos do outro.Há conflitos irresolúveis que chegam para ginasticar qualquer casal apaixonado sem ter de inventar outros. Assim como o primeiro dever do médico é não fazer mal ao doente, o primeiro cuidado de um casamento feliz é não inventar e acrescentar conflitos desnecessários.

No dia-a-dia, é preciso haver arenas designadas onde possamos marrar uns com os outros à vontade. No nosso caso, é a cozinha. Discutimos cada garfo, cada pitada de sal, cada lugar no frigorífico com desabrida selvajaria.

Carregamos a cozinha de significados substituídos - violentos mas saudáveis e, com um bocadinho de boa vontade, irreconhecíveis. Não sabemos o que representam as cores dos pratos nas discussões que desencadeiam. Alguma coisa má - competitiva, agressiva - há-de ser. Poderíamos saber, se nos déssemos ao trabalho, mas preferimos assim.

A cozinha está encarregada de representar os nossos conflitos profundos, permanentes e, se calhar, irresolúveis. Não interessa. Ela fornece-nos uma solução superficial e temporária - mas altamente satisfatória e renovável. Passando a porta da cozinha para irmos jantar, é como se o diabo tivesse ficado lá dentro.

Outro coliseu de carnificina autorizada, que mesmo os casais que não podem um com o outro têm prazer em frequentar, é o automóvel. Aí representamos, através da comodidade dos mapas e das estradas mesmo ali aos nossos pés, as nossas brigas primais acerca das nossas autonomias, direcções e autoridades para tomar decisões que nos afectam aos dois, blá blá blá.

Vendo bem, os casamentos felizes são muito mais dramáticos, violentos, divertidos e surpreendentes do que os infelizes. Nos casamentos infelizes é que pode haver, mantidas inteligentemente as distâncias, paz
e sossego no lar.

No Panda foi assim

sei que é verdade, mas nem quero acreditar

 
Alguém no open space onde trabalho, está a cortar as unhas. Ouço o barulho do corta-unhas. Sei que está perto das minhas costas. E preferia acreditar que estas coisas não acontecem no local de trabalho.
Nas 2 empresas onde trabalhei, havia sempre algum caramelo que tinha a mania do corta-unhas na secretária. Será geral?

das pesquisas idiotas

gurosan fora de prazo
 
Alguém se meteu nos copos e estava tão mal que até gurosan fora do prazo tomou...

Sim, foi esse mesmo

O Ruca deu o mote ao tema da festinha da Maria, É o amor de perdição da catraia, mas agora está a ter forte concorrência do Pocoyo.

Da festa

Ficam algumas (poucas, muito poucas) fotos que consegui tirar com a minha máquina. Mais virão, de outras tantas máquinas.
A Maria delirou. Não tem explicação. A felicidade. Foi bom, bom, bom.



















13/11/10

exausta

Tenho saído de casa muito cedo. Tenho chegado a casa muito tarde. Hoje
ainda é dia. E quando por fim chegar a casa a Maria não estará. Vai
dormir a casa dos meus pais e chega domingo quando a festa estiver
preparada.

08/11/10

Para comemorar

 
A Maria acordou constipada, com uma tosse de cão e com febre.
Great!

2

Podia dizer que te amo.
Podia dizer que mudaste a minha vida.
Que a tornaste muito mais feliz.
Podia dizer-te que és o maior feito da minha vida.
Podia dizer-te que não me imagino sem ti.
Mas parece-me tão curto. Tão pouco.


Prefiro a cada dia, todos os dias, ver-te crescer feliz.
Parabéns princesa!!

07/11/10

A 1 dos 2

Acabas de adormecer no sofá da sala, enroscada no meu braço.
E por mim, dormíamos aqui, assim, as duas.
Nem acredito que amanhã quando acordares, terás 2 anos...

Maria no Panda

Amanhã o canal Panda vai cantar os parabéns à Maria.
Às 11.27h e às 18.57h!
Vamos gravar na box e filmar a tv para mais tarde recordar.
Amanhã o dia será (com muita pana minha) para mim de trabalho... Mas sairei a horas decentes e ainda cantamos os parabéns aqwui em casa, depois de jantar.
E a grande festa será já no próximo domingo.

Os 50% de desconto do continente

Deram para comprar os presentinhos de Natal para a criançada toda. E ainda um presentinho para a Maria para amanhã...
Passava pouco das 7.30h da manhã quando eu e a minha mãe entramos no Continente de Matosinhos e já os corredores dos brinquedos estavam uma loucura.
Carrinhos apinhados de brinquedos por todo o lado, está visto.
E algures nos corredores ainda me ri, com uma senhora com alguma ideia que protestava e dizia: Olhem para aqueles carrinhos. Crise, qual crise? A crise é só na televisão ou para alguns...

05/11/10

detesto

Que me digam para fazer como quiser.
Que faça.
Que depois de feito me digam: acho que é melhor assim, não acha?
Que eu responda, que não acho, porque se achasse teria feito.
E que me queiram a obrigar a dizer que concordo (de forma discreta,. Não concordo, não digo que concordo só porque sim.

A popota está de volta

Sou fã da Popota. A Maria adora-a. Ainda hoje a música da Popota do ano passado, é o meu toque de telemóvel. Aliás, para a Maria todos os hipopotamos, são Popotas.
E a dita está de volta. Hoje. Com nova campanha multimeios. Ainda não vi nada, só li. E o que li foi que a nova campanha retrata uma Popota Diva do Natal ao som da Popota Cool, uma adaptação da música Daddy Cool.
Além da campanha de publicidade, a Popota vai andar pelo país com o Popota Dance Tour e vai ainda ser lançado o Popota Mobile (um telemóvel exclusivo, da Optimus, claro está).
O microsite da Popota já está disponível. Espreitem que vale a pena

Cuidado com o que pedem ao Pai Natal

04/11/10

Homenagem ao Afonso

Amanhã vai realizar-se uma missa na igreja da Senhora da Hora, às 17.30h, em homenagem à luta do pequeno Afonso Couto. Daí o Afonso partirá para Macau com os pais, onde vai descansar.
Vou esfarrapar-me toda a trabalhar, para conseguir sair a horas e pedir que o trânsito ajude e estar lá.
Não adoro igrejas. Mas a partida do Afonso abalou-me. Há histórias assim...

Podem chamar-me maluca

Mas adoro dias como o de hoje. Não parei um segundo. Mil coisas para fazer. Alguns imprevistos. Algumas ideias de última hora. Muito trabalho. Adrenalina. Fui feita para trabalhar sob pressão.  Cada vez tenho mais a certeza. É quando me sinto mais eu e profissionalmente mais eficaz e eficiente. A fazer o que gosto, convém dizer. A dias do meu primeiro grande evento na nova empresa, preparada para muitas horas de trabalho, para a correria, para o pormenor que gostava que tivesse ficado de outra forma.
No meio de tudo isto, o aniversário da Maria na 2ª feira. Nesse dia, já avisei que tenho que sair a horas e qual o motivo. A festinha fica para domingo seguinte, já que até sábado tenho trabalho non stop.

Buhhh

Para todos os que me lixam o juízo, esta é a resposta!

Querem brinquedos com descontos de 50%

Um passarinho contou-me que é já este fim-de-semana que todos os brinquedos no Continente estarão com 50% desconto em cartão.
Vamos em bando?
 

Impressão minha

Ou estamos a passar pelo Verão de S. Martinho. Hoje estavam 25º quando saí para almoçar.
E eu de camisola de gola alta!

O carro dos meus sonhos

A Google está a testar (e com grande sucesso) o carro dos meus sonhos. Imaginam um carro que se conduz literalmente sózinho? Eu imagino e a ideia agrada-me e muito. Não nasci para conduzir. Não me dá prazer nenhum. Aliás não fosse o meu carro "espertinho" ter mudanças automáticas e diria que iria continuar a conduzir quando o rei faz anos.
Isto sim, parece-me uma grande ideia. Que venha. E rápido.

Nunca tinha ouvido falar de tal coisa

Em alturas como esta, de crise, todos sabemos (e eu senti) que o nosso posto de trabalho não é seguro e a qualquer momento podemos ser um número a pesar na empresa e o desemprego aparece sem se fazer anunciar.
Para mim, pronunciar a palavra desemprego era dureza. Nos quase 4 meses de experiência, posso dizer que não vivi para estar sem trabalhar. Achava eu que daria uma excelente dondoca, que tem o dia para passear e ir às compras, mas não. Não é para mim.
Li hoje que um novo conceito está a ganhar forma e expressão no nosso país. Outplacement. Não me dizia nada e por isso decidi ler isto até ao fim. Parece-me um conceito interessante para quem está desempregado e sente que sózinho terá dificuldade em arranjar emprego. Claro que o artigo não está isento de publicidade, porque fala de uma empresa específica, que certamente terá pago (de uma forma ou de outra) para que fosse publicado. Mas ainda assim, parece-me um forte aliado. Uma ferramenta importante. Não sei quanto custa, mas eu pensaria em recorrer se estivesse desempregada.

Aos incondicionais da minha vida

03/11/10

Tão verdade

A luta do Afonso terminou

Acabo de saber que o Afonso, filho do piloto André Couto, perdeu a luta contra a leucemia. Apesar do transplante de medúla óssea, a luta do Afonso terminou hoje. E escrevo cada palavra a conter as lágrimas que querem fugir.
 
Não é justo. Não é justo.

o flashmob chegou ao mundo digital

A Desigual, lançou o primeiro flashmob digital e com o objectivo de  espalhar felicidade pela internet, convida as pessoas a deixarem comentários positivos nos blogues. Dizem eles que não há nada como comentários positivos para deixar um bloger feliz.
 
E que bem que me parece. Vou fazer por isso. E espero que vocês, também!

Limões



À saída do restaurante onde fomos almoçar na 2ª feira, estão plantados imensos limoeiros. Como o dito, ainda é de familiares afastados, sempre que lá vamos, vimos carregados de limões. Mas divertido, divertido foi a Maria em delírio a andar a colher os limões e a querer carregar com o saco no final.