21/10/10

Ontem

Escrevi um dos textos que mais me custou escrever. Não concordava com cada parágrafo do que escrevi. Não me pediram que concordasse. Não serei eu a enviar o e-mail. Acharam sim, que seria a pessoa certa para transmitir a mensagem dura, da forma mais agradável possível. Ninguém me perguntou se concordava. Deram-me as ideias que queriam transmitir e pediram-me, como responsável de comunicação, para escrever um pequeno texto, que será um e-mail, que em breve muito vai dar que falar na empresa.
Escrevi. Dei as voltas que lhe queriam dar. E ao escrever tentei pensar apenas que me estavam a pedir apenas para escrever. A ideia não é minha. Ainda que não concorde, não me cabe discordar. Foi quem manda, em quem manda que pediu. E está feito

5 comentários:

Mami ( Sónia ) disse...

As vezes custa tanto obedecer a certas ordens que nos são dadas...

Com Fusão de Sabores disse...

Por vezes temos que ser meros autómatos!!!!
Haja paciência...

Gambozina disse...

Há situações dificeis. O pior que já me pediram para fazer no meu trabalho foi despedir alguém. E era uma pessoa reformada, que não vivia do que lhe pagavamos. Trabalhava como jardineiro apenas para entreter o muito tempo que tinha e porque era uma coisa que gostava muito. Mas mesmo sabendo que não precisava do seu emprego para comer, foi muito difícil fazê-lo. Muito mesmo. Nem imagino se alguma vez me mandassem despedir alguém que vivesse do seu emprego...

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

Sei do que falas.Também sou responsável de comunicação.

Rita disse...

Máquinas.. Por momentos, temos de nos desligar.
*