12/01/12

em modo laranja

 ontem foi dia de cortar em pedacinhos abóbora que a minha querida Di mandou para nós pelo meu mano.
A minha mãe fez o favor de cortar a abóbora em pedaços e de lhe tirar a casca. Levei para casa um saco enorme (e pesado) de abóbora. Com a missão de congelar grande parte para usar na sopa e para fazer compotas. Ontem depois de jantar sentei-me na sala e já munida de uma tábua, faca e sacos de congelação ia dar início à minha saga. A Maria correu para ver o que era e quis ajudar (quer sempre). Ora a coisa metia facas e confesso que não adoro que ela mexa em facas porque receio que se corte. Ela é cuidadosa mas muito, muito distraída. Depois de alguma insistência lá me ajudou. Uma tábua para ela, uma faca (menos afiada) e lá estivemos as 2 a cortar abóbora. E ela entreteve-se mais a cortar a abóbora do que a brincar. No fim tínhamos as duas as mãos alaranjadas. E ela toda contente. Ainda me ajudou a guardar uns sacos no congelador e mais uns no frigorífico.
E isto aconteceu enquanto na tv dava um programa em que uma mãe assumia não deixar o filho de 10 anos pegar numa faca, nem para cortar a comida no prato. Não a censuro, mas enchi o peito de orgulho e pensei: "venham agora lá dizer que eu a protejo muito e tal e coisa!" (está a ver Dr. P, o que esta mãe evoluiu?! Esta - eu - é a mãe que quando a filha começou a andar queria comprar um capacete e foi altamente gozada na sua consulta!)

5 comentários:

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Engraçado que enquanto tu e a Maria viam isso eu e o santi tb :) e sim tb enchi o peito de orgulho de o deixar fazer certas coisas :D:D

Palco do tempo disse...

ehehhehe :)

mari disse...

:) :) :)
um pequeno passo para a Maria e um grannnnnde passo para ti ... parabéns **

Ju disse...

oh pá, ri-me taaaanto com essa do capacete ahahaha xD! e achei super fofo as duas a trabalharem juntas :))

Gambozina disse...

Ahahahahahah! Lembro-me perfeitamente de comentares a história do capacete na consulta. :-) Não são só eles que crescem, nós também crescemos. E eu também só vou deixar o João usar facas lá para os 15 anos. :-)