18/11/09

Triste

 
Hoje estou triste.
 
Há amizades que demoram anos a construir e depois de alguns anos de experiência, de levar algumas patadas, criamos resistência, barreiras à entrada de pessoas na nossa vida. Passamos a jogar à defesa.
Porque é fácil pensar que o mundo está cheio de pessoas más (e está mesmo!) e depois de cair algumas vezes, passamos a usar capacete, joelheiras... tudo o que nos possa proteger.
Se acho que devia ser assim? Não, não acho... Se acho que com esta atitude afastamos da nossa vida pessoas boas, que não permitimos que nos conheçam verdadeiramente? Claro que sim. Mas também nos evita alguns trambolhões. E a decisão de se queremos correr o risco de voltar a cair ou não é delicada.
 
É assim comigo. Confesso ter dificuldade em permitir a entrada de pessoas na minha vida. Não me entendam mal. Não sou um bicho do mato. Gosto genuinamente de pessoas. Sou socialmente afável. Agora amigos, amigos?! Daqueles com quem podemos contar sempre? Tenho poucos. E até vos digo que desconfio de quem se pavoneia por ter dezenas de amigos incondicionais.
 
E de repente, quando achávamos que a nossa carapaça era bem dura, há pessoas que entram na nossa esfera privada, na nossa vida, sem sequer darmos conta. E em meses, conquistam o nosso coração e tornam-se nossos amigos.
 
E hoje uma amiga recente, diria que a amiga mais recente que tenho, perdeu o pai. Recebi a notícia por sms estava a chegar ao escritório e assim que li disse: merda... E li alto ao Filipe a mensagem e já não consegui evitar chorar. Tal como não consigo agora.
Depois de tentar coragem para lhe ligar. De me fechar numa sala de reuniões, para ter a certeza que se chorasse, estava protegida, consegui ligar-lhe para lhe dar um beijinho e dizer que estamos cá. Não consegui dizer-lhe mais nada. E sinto-me estúpida por não lhe ter dito que quando a vi pela primeira vez tive dela uma impressão totalmente errada. E que fiquei muito feliz por descobrir nela um ser humano fantástico. Uma amiga dedicada. Um coração grande. Alguém de bem com a vida.
 
Sei que ela não nos lê aqui (quer dizer, saber, saber... não sei), mas sei que hoje estou triste, estou a trabalhar mas tenho o coração apertadinho e só conto os minutos que faltam até ao final do dia para que possa estar com ela. Simplesmente estar com ela.
 
Hoje os meus beijos vão todos para ti amiga S. Sei que estás rodeada de bons amigos (não estou a falar de mim) que ajudarão.
Confesso não conhecer a dimensão da dor que sentes. Não consigo sequer imaginar. Mas cá estarei. Para o que der e vier.
 
Patrícia

7 comentários:

Cláudia - a mama Galinha disse...

Amiga,
desde já as minhas condolências á tua amiga S. e sua familia.
Como sabes perdi o meu PAI há pouco tempo, faz 4 meses no próximo dia 23, enfim...é uma dor sem fim, inexplicável, que na altura podemos fazer-nos notar de que estamos bem, mas o mundo mais cedo ou mais tarde vai desabar, pois isso aonteceu-me e é uma dor sem fim, e o pior está para vir.
o pior vem depois, ao recordar os locais, os momentos,aquelas alturas especiais do ano, os objectos e temos momentos de uma outra pessoa nos fazer parecer em tudo o nosso PAI.
Vai ser doloroso e vês pelo meu blog os vários momentos e etiquetas que têm o nome "MEU PAI", e ao escrever-te agora faz-me sentir a dor da tua amiga, ainda hoje chorei com saudades poi tive com fotos do meu casamento na mão.
Se ela te disser que está bem, aceita, pois sabes que não está, agora peço-te: estes próximos tempos vão ser de muito pesar, injustiça, raiva e revolta e o porquê da vida ser tão injusta, liga-lhe a ver como está e qql coisa que possa ajudar...cá estarei.
beijo enome amiga

Alexandre disse...

É realmente bastante mau. :(
Espero que a tua amiga, fique bem!

Ana Raquel disse...

Em termos de amizades só muito como tu e sim, por vezes perdemos mas regra geral ganhamos.
Nesses momentos ficamos simplesmente sem palavras.
Vou te contar uma coisa para te rires um bocadinho, há uns anos morreu uma pessoa amiga e o meu pai teve 2 horas na rua a preparar o discurso para a viuva, quando decice entrar dá lhe 2 bjos e simplesmente dá lhe os PARABENS!!!
Bem, não tas a perceber... Ainda hoje nos rimos dessa gafe do meu pai.
Espero que pelo menos tenhas sorrido.
Bjocas

Lebasiana disse...

situação muito complicada...

jinhos

Dinastia FilipiNHa disse...

:-(

Bjs

Rita :-) disse...

Olá... muito tempo sem vir aqui (desculpa) e depois encontro-te assim... triste... de coração pequenino...

Mas sabes que mais? deves ser uma AMIGA e tanto! Aqui deixaste uma linda declaração de amizade e amor por alguem que saberá (sempre) que pode contar contigo.

Beijos,
Rita e Di :-)

Anónimo disse...

Eu li e espero um dia retribuir todo o apoio que me transmitiste apenas no simples telefonema....também te adoro

assinado S.