10/08/09

recado da mamã

Princesa,

A mamã sabe que não é habitual escrever-te aqui, com público, e que temos um cantinho só nosso, onde escrevo só para ti (que ainda não me lês). Cantinho esse onde escrevo sem data e hora marcadas, e onde passei a escrever no dia em que soube que eras uma menina, em que tudo se tornou mais real, onde passei a ter menos receio, porque ouvi a palavra mágica, na ecogarfia morfológica: bem... Estava tudo bem contigo! Mas, hoje, não sei porquê, apetece-me gritar ao mundo que te amo!

Acabas de fazer 9 meses e é inevitável que eu pense que são 9 meses a ter-te aqui, e 9 meses em que foste o nosso feijãozinho.. Nunca esquecerei o dia em que soube que estavas na minha barriga. O dia 17 de Março do ano passado foi mesmo especial e ficará para sempre guardado. Depois, foram 9 meses de sobressaltos. Muitos sustos e alegrias. Lágrimas de dor, de receio, de alegria. Um misto de emoções. Que contrastou com a serenidade com que estava no dia antes de nasceres. Sim, o teu parto foi programado (a mamã teve pré-eclâmpsia e diabetes gestacionais, que a isso obrigaram). E no dia anterior, quando achava que iria estar uma pilha de nervos, estava mais serena que nunca. Com a certeza que tudo correria bem. Por saber estar nas mãos da médica em que confiamos, a gravidez e o teu nascimento.
Quanto ao parto... Foram 10 horas. Mas não te assustes meu amor. Porque tudo correu pelo melhor. Foram apenas alguns minutos mais dolorosos, mas graças à milagrosa epidural, a mamã até adormeceu de tão relaxada que estava. Precisaste da ajuda de uma ventosa para nascer... Claro que fiquei assutada quando vi a nossa doutora dizer que íamos precisar de uma ajudinha. É que já eras malandreca na barriga da mamã e ao nascer quiseste deixar claro de que fibra és feita e toca de girar no momento em que estavas já no canal de parto. Colocaste-te de rosto para baixo e no período expulsivo, batias ali em qualquer lado e voltavas a subir.

No momento em que te vi, em que te agarrei pela primeira vez. Senti que nada mais existia. Conheci um amor maior que tudo o que conhecia até então. Percebi que naquele segundo daria a minha vida por ti. Um destes dias, os papás estavam a ver uma reportagem no telejornal sobre mães adolescentes em que a jornalista perguntava à recente mamã, o que tinha sentido quando tinha visto o filho pela primeira vez. E ela respondeu qualquer coisa como, que gostava do filho, como gostava da mãe. Eu e o papá olhamos um para o outro e dissemos em uníssono... Nãooooooo!
É que na verdade não se compara. O amor que sinto por ti não se compara com nada o que tinha sentido até então. É um amor maior que o mundo. Um amor maior que eu. Não tenho sequer forma de explicar-te o quanto te amo.
Tento mostrar-te todos os dias. Até já deves estar farta de ouvir-me dizer-te que amo. Como perceberás um dia, se é que já não percebes, a mamã é muito mais sentimento do que razão. De riso e lágrima fácil, que adora a capacidade que o ser humano tem de se emocionar.
Eu emociono-me sempre que penso com mais calma, abstraindo-me da lufa lufa do dia a dia, no que és para mim. Na dádiva que recebi quando entraste na minha vida.

E sabes princesa, acho que vieste na altura certa. Os papás andaram em tentativas quase 1 ano. Achamos que era muito tempo... Estavamos a desesperar. Mas a verdade é que agora percebo que viste povoar as nossas vidas, enchê-las de amor, na melhor das alturas. Tivemos muito tempo para viagens a destinos mais longíquos, para férias sem data e hora marcada, para fins-de-semana de improviso. E agora temos todo o tempo para ti. Um dia, assim que sejas um bocadinho mais cerscida, esperamos retomar as nossas viagens pelo mundo. Mostrar-te os sítios de que mais gostamos. Conhecer contigo tantos outros.

Hoje és o centro das nossas vidas. Foste uma bebé muito tranquila quando eras recém-nascida. Ainda hoje achamos que não sabes chorar a sério. Como muitas vezes ouvimos outras crianças fazer. Dormes muito bem. Comes muito bem. E és um doce. Com personalidade em forte, mas um doce de menina. As tuas festinhas são o melhor remédio para qualquer dia em que o trabalho corre menos bem. Os teus saltos eufóricos de alegria, dão-nos energia. As tuas gargalhadas fazem-nos sorrir. E é tão bom filha, tão bom...

És reguila, espevitada, cheia de vida e energia. Exiges muito de nós. Atenção e presença a toda a hora e só páras mesmo quando o cansaço te vence e adormeces.
E como adoro que durmas nos meus braços! E dar-te beijos, os nossos beijos, daqueles que não são para mais ninguém!

E hoje, partilho aqui, neste espaço que é público, este amor que sinto por ti, a que chamo maior!

Beijos,
Mamã

11 comentários:

Maria Francisca disse...

Mas que lindo recado Patrícia. Que grande amor! Amor lindo!
Muitas felicidades e parabéns pelos 9 meses.
Beijinhos grandes.

Sara disse...

E com isto me emocionaste! O amor de um filho deve ser mesmo enorme...

Sara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara disse...

Querida Patrícia, deves ter-te apercebido que a mensagem não era para ti... Sorry :(
Mas tenho um selinho para ti no meu blog!
Beijinhos

Carolina e António disse...

A Princesa vai amar ler o que a Mamã escreveu...LINDO!
Bjocas

Patrícia disse...

Parabens pelos 9 meses de amor e magia, relamente não há igual e é tão bom amar assim

Fi disse...

que carta tão linda escreveste à tua filhota!
muito bonito mesmo :)

beijos

For you disse...

Lindas palavras!

Um grande beijinho de parabéns pelos 9 meses!

Carla Sousa disse...

É maravilhoso o presente que está a oferecer à Maria. As fotos e os vídeos são importantes para a "reconstituição" da nossa história e mostram momentos de uma vida, mas em nada se comparam ao poder das palavras... estas conseguem demonstrar todos os sentimentos desse mesmo momento, sem perder pitada de emoção.

Parabéns Patrícia! Estou rendida ao seu blog! :)

Beijinhos para todos*

Dinastia FilipiNHa disse...

Minha querida, faltam-me as palavras... Reconheço no que leio os mesmos sentimentos que me invadem....

Simplesmente lindo...

Um beijinho enorme e muito emocionado...

Ni disse...

Querida maria, um dia saberás que pelo menos uma vez na vida te saiu a sorte grande : com a mamâ que tens.
Sinto-me uma previligiada por ter uma pessoa como a tua mama na minha vida.
Querida Paty, és a minha irmã de coração. Obrigada, obrigada, obrigada por estares sempre presente, pela tua sensatez, pela tua capacidade de mimar , cuidar, proteger e amar.
és a amiga que todos gostariam de ter e que eu tenho a sorte de ter.
Parabéns pela mae maravilhosa que és. e acima de tudo, parabens porque a Maria é uma criança muito feliz (e não há nada mais importante que isso). Acompanhar estes 9 meses tem sido mais que bom. estes dois dias de Maria, foram EXTRAORDINARIOS. ela contagia tudo com a sua alegria. e ..... nem acredito que já diz : TITI .... é bom demais !
Adoro as duas, com todo o meu coração!