02/08/09

O dia em que podia ter perdido o avô

Hoje escrevo-vos eu... Patríca, mãe da Maria.
Um assunto que nada tem a ver com o blogue. Ou talvez tenha. Porque alterou de forma irreversível o curso da vida do meu pai, e das nossas vidas. Sim, podia ter sido muito pior. Foi o que mais ouvi ontem. Dito por polícias, pessoas que não conhecia, pelo meu marido. Foi no que mais pensei ontem quando tentava adormecer. Hoje podia não ter o meu pai aqui.
Sem entrar em grandes detalhes, digo-vos que escrevo apenas para exorcizar a minha raiva contra o mundo. Contra a merdade deste mundo. O mundo em que crio a minha filha. E assusta-me o que o futuro reserva. Para mim claro, mas para ela acima de tudo.
O meu pai trabalha no ramo da ourivesaria. Foi ontem vítima de um assalto muito violento que por ironia do destino aconteceu a escassos metros de minha casa. Onde a Maria dormia nos meus braços.
Não ouvi os tiros... Felizmente. Foram mais que muitos. Atendi o telefone à 3ª tentativa de contacto do meu pai. Porque não queria acordar a Maria. Mas tanta insistência fez-me suspeitar que algo se passaria. Lembro-me de o ouvir chorar e me dizer que o tinham assaltado. De lhe perguntar se estava bem. De ver o Filipe correr para o quarto, alarmado pela minha voz.
Não me recordo do que fiz antes de sair de casa. Recordo muito pouco de tudo até chegar ao pé do meu pai. De o abraçar e chorar com ele. Por ele. Por uma vida inteira de trabalho que desapareceu em segundos. O cenário era dantesco. Muitos carros da polícia por todo o lado. Cartuchos de balas por todo o lado (nem sei se diz cartuchos, mas são uns onvólucros). O meu pai ainda assustado, em choque.
Ao pé dele acabei por manter-me firme. Desabei longe. Fora do perímetro de segurança estabelecido pela polícia. Ao telefone, com a minha madrinha que está de férias longe. Percebi que estava demasiado nervosa para falar, para pensar. Sentei-me e chorei. E percebi que neste mundo, com o qual me revolto e no qual talvez não queira viver, há pessoas boas. A dona da mercearia da esquina, viu-me. Pegou na minha filha. Abrigou-a do vento que eu nem sabia que existia. Várias pessoas choraram comigo. Ofereceram-me agasalhos, bebidas quentes... Não consegui sequer agradecer. Não sei quem são. Provavelmente nunca as vi antes e não voltarei a ver.
Percebi ainda que mesmo com tantos tiros, com tanta violência, 2 almas caridosas, sairam das suas casas e correram na direcção da estrada. Foram recebidos a tiro de cacadeira e saltaram muros para salvar as próprias vidas. Um senhor que seguia na mesma rua, no seu carro, em sentido inverso, foi para o hospital. Foi baleado. Olhando para o carro do meu pai, não consigo sequer perceber como está vivo, confesso. Furos de bala por todo o lado. Vidros partidos. Pneus rebentados. Se não fossem estes dois senhores, que vestiam de vermelho e correram na tentaiva ingénua de poder mudar o rumo da situação, imagino que o cenário hoje fosse outro. Bem pior. Tive oportunidade de falar com eles um pouco mais tarde e garantem que quando chegaram viram o meu pai no chão, com uma caçadeira apontada, a ser brutalmente agredido. Não vale a pena pensar em ses... Mas apesar de tudo fiquei com o contacto dos senhores (de quem nem o nome sei) e pretendo visitá-los e agradecer novamente. Com mais calma e algum discernimento que ontem não tinha.
O meu irmão estava longe a gozar o fim-de-semana. Voltou.
Acompanhei o meu pai. Fui com ele para a polícia judiciária que está agora encarregue do caso... Percebi que contrariamente à ideia que tinha, temos forças políciais humanas, capazes de uma palavra de conforto quando precisamos de a ouvir. E falo também da GNR presente no local com mais que muitos carros. Soube mais tarde que a pessoa baleada se encontra fora de perigo. Felizmente.

Quanto ao futuro, será decidido em família.
A quente diria que não vale a pena continuar...

22 comentários:

Paula Oliveira disse...

É sem dúvida revoltante ou mais ainda apercebermos-nos que o mundo em que vivemos está por um fio... que vivemos as nossas vidas num constante trapézio do qual podemos cair a qualquer momento!!! Fico triste por ouvir mais uma destas histórias que assombram o nosso quotidiano... mas com um certo contentamento por o desfecho não ter sido dos piores!! Não sei que te dizer para te reconfortar... acho que em alturas destas pouco se pode dizer... mas posso oferecer um ombro amigo... pronto para ouvir... pronto para dar um abraço silencioso e compreensivo da dor que deves estar a passar!!! Podia sem dúvida ter sido muito pior... mas com toda a certeza que também não foi bom e continua a não ser... tens agora que te reerguer... e ajudar o teu pai a fazê-lo também... independentemente da decisão que tomem... a Maria é uma força da natureza que têm o privilégio de ter ao vosso lado para vos ajudar!! Ela sem dúvida vai ser um bom porto seguro para ganharem forças e seguirem em frente!!
Beijos e abraços!!

Carolina e António disse...

Sem saber muito bem o que te dizer mas sinto o meu coraçao apertadinho a ler as tuas palavras...
Espero que tenhas ainda mais força hoje!
Desculpa as palavras, mas esta é a merda de mundo que temos:(
Bjocas

Sara disse...

Oh minha querida, eu vi a notícia na televisão e agora que me apercebi que tinha sido com o teu pai fiquei ainda mais revoltada!
Ainda bem que tudo acabou em bem, mas imagino que deve ser difícil tirar as imagens da tua cabeça...
Força minha querida! Beijinhos enormes :* :* :*

Dinastia FilipiNHa disse...

Minha querida, o teu post deixou-me em lágrimas...

Não consigo sequer imaginar a dor, a raiva, o medo que estarão a sentir neste momento.

Graças a Deus o teu pai está bem. Vocês estão bem! E quando o teu coração sossegar vais ter a certeza que não há nada mais importante no mundo!

E também vais ter a certeza que vale a pena continuar. Sempre!

Um beijinho muito, muito grande e um abraço muito apertadinho! Força minha querida, FORÇA!

Maria Francisca disse...

Patrícia nem sei bem o que te diga.
É nestas situações que nos apercebemos que problemas graves não são o que temos diariamente, são estes. É perdermos as pessoas que mais amamos que nos faz ficar infelizes. A isso chama-se problemas. Não consigo deixar de dizer que o teu pai teve muita sorte e ainda bem que a situação não é outra. Quanto ao resto resolve-se. Só espero que estava tudo bem convosco e que se resolva tudo bem e rápido. Lamneto imenso o que aconteceu. É uma situação realmente arrepiante! Mas o mais importante é que tens o teu pai ao teu lado. É nisso que tens de pensar. Esse susto deve ter sido enorme. Nem me consigo colocar no teu lugar acho que teria morrido no teu lugar.
Tens todo o meu apoio e como é claro não sei bem no que te ajudar mas no precisares não esites em pedir ou perguntar.
Estarei sempre aqui para te ajudar amiga.
As melhoras rápidas para o teu pai.
Vai ficar tudo bem e tudo vai voltar a ser como dantes.
Beijinhos e abraços carinhosos.

Maria disse...

Infelizmente cada vez mais ouvimos situações dessas, e quando elas nos tocam directamente ai é que percebemos a fragilidade do Mundo em que vivemos..

Um grande beijinho.

Silvia disse...

Deve ter sido sobre o teu pai a noticia que li hoje no CM.
Nem imagino o que estão a passar.
Muita força!
Beijinho grande.

sara disse...

Olá Patricia! Li a noticia na 1º página do jornal,fiquei chocada...
ESpero que dentro dos possiveis o teu pai esteja a melhorar...
Nem quero imaginar aquilo tudo por que ele passou e tu também, não é nada fácil ver aqueles que amamos a sofrer principalmente de uma maneira dessas...
Beijinhos cheios de força!!!!

Ana disse...

querida!!!! nem sei o que dizer... estou em choque! Espero que fiquem todos bem... a familia toda... se precisares de alguma coisa diz... OK? Estou a pensar em ti a a manda-te muitos pensamentos positivos... a ti e ao resto da tua familia...Beijokas muito muito grandes

Mamã Andorinha disse...

Patrícia muita força e coragem para ti e tua família.

Segundo Olhar disse...

Caramba!!! Realmente faz-nos ficar revoltadas contra tudo e todos! que merd* de mundo cruel! Bolas!!!

Mas acabou, graças à bondade das pessoas e fico feliz. Realmente poderia ter sido pior, mas não foi.

Um beijinho grande grande

Dinastia FilipiNHa disse...

Minha linda, passei para te deixar mais um beijinho.

Espero que em breve possas vir dar notícias.

Um beijinho grande!

Rita :-) disse...

Ó minha querida... que arrepiu!!! Parecia que estvas a contar um filme.

Só te que posso desejar calma e muita serenidade...

Um abraço forte!

Beijos,
Rita e Di :-)

For you disse...

Escrevo-te com uma lágrima no olho ... o que escreveste é muito duro. Espero que todos o consigam ultrapassar especialmente o teu Pai.

A casa dos meus sogros foi assaltada a semana passada, roubaram um carro que entretanto apareceu, foi um susto bem grande pq a avó do meu R estava em casa mas felizmente ninguém saíu magoado.

Um grande p ti e para a tua família!

Poetic GIRL - BELA disse...

Arrepiei me a ler o teu post.. é isto que me assusta nesta vida, o medo do que pode acontecer à gente que amamos... esta sensação de querer proteger e não poder. Vivemos num mundo cruel, tenho a certeza que irás encontrar a melhor forma de educar e proteger a Maria do máximo que puderes... mas há coisas que simplesmente não conseguimos controlar. Força para todos.. beijos

Cláudia disse...

até me arrepiei....Vi a notícia, e pensei... aqui tão perto...

depois no domingo ao passar peão perto de tua casa pensei... aqui tão perto...

Longe me passava pela cabeça que era perto demais...

Muita força para voçes... Podia ter sido bem pior... mas foi suficientemente mau...

Um grande beijinho para voçes e amiga, força.

Dangerously in Love disse...

Minha Querida estou arrepiada...e revoltada!
Nem sei o que te dizer..apenas força!

beijocas

Dinastia FilipiNHa disse...

Olá minha querida!

Como é que vocês estão todos?

Um beijinho grande

Rita :-) disse...

Miminhos de fugida!

Beijos,
Rita e Di :-)

Carlos Leitão disse...

Lamento vivamente o que aconteceu Patrícia. O importante agora é encontrarem quem fez essa barbaridade e entender que há pessoas boas no mundo dispostas a ajudar, que felizmente são a grande maioria, não nos revoltemos contra o mundo por causa de uma minoria que não tem respeito pelo planeta nem pelo ser humano.

Mibiju disse...

Minha querida Patrícia que situação!!!!Só de ler dá uma angústia e uma revolta tão grande Meu Deus mas o que é isto?Que mundo este que vivemos? Será que temos de andar também armados para chegar a casa vivos????????????Nem imagino a dor mas ainda bem que o pior não aconteceu. Venho aqui te desejar a maior força, as melhoras ao teu querido pai e muitos beijinhos minha linda!E sim existe ainda muito boas pessoas (felizmente) um enorme beijinho a elas e um bem haja! Força minha querida! :)

Rute disse...

Não existem palavras para tanta violência...
Espero que neste momento se encontrem mais calmos.

Beijinhos grandes e força